Capacidade do bipolar de superar as crises

É impressionante a capacidade dos bipolares de se reerguerem. Eu, nas crises, perdia tudo: marido, emprego, dinheiro, casa, carro – tudo mesmo. Era como areia escorrendo por entre os dedos. Destroçada por dentro. Tempestades destruidoras. Nunca tive dinheiro guardado, uma reserva para os momentos de emergência. Então tinha que recomeçar do zero.

Vamos contar por quantas crises deste tipo eu já passei:

 

1) Quando o cafa número um me abandonou.

Eu era virgem, ele era casado, transou comigo e me deu um pé na bunda. Perdi todo o referencial de certo e errado. Ia prestar vestibular, não consegui. Eu, que sempre fui a primeira aluna da classe. Quando acabou, eu não era nem um trapo, era pior que isso. Fiz uma dieta detox, emagreci e passei a estudar com afinco. Seis meses depois eu passei no vestibular mais concorrido da minha área

 

2) Quando engravidei pela primeira vez e fiz o aborto

Cafa número dois. Entrei em depressão e crises de tricotilomania (arrancar os cabelos). Dei o dinheiro da mensalidade da faculdade para o meu namorado (ou melhor, caso, porque ele era casado), esperando que ele guardasse para fazer o aborto e ele comprou timbales.

 

3) Quando meu pai revelou que era bígamo.

Entrei em uma crise horrível de depressão. Trabalhava em uma multinacional, cargo promissor, pedi demissão. Passei a depender do dinheiro da minha mãe, até que minha irmã me expulsou, e a minha mãe deixou que ela fizesse isso. Não tinha dinheiro para comer, meu melhor namorado levava um tiquinho de comida para eu passar a semana. Fiquei um tempo isolada em casa. Quando senti as forças voltando, encontrei um emprego melhor que o anterior.

 

4) Quando a minha irmã morreu.

Morri um pouco junto com ela. Não conseguia trabalhar. Briguei com a minha chefe e fui demitida.

 

5) Quando o grande amor da minha vida me rejeitou.

No começo, éramos muito apaixonados. Mas, para morar junto com ele, que havia se mudado de cidade, eu pedi demissão, passei a ser sustentada por ele e ele começou a me maltratar. Juntei minhas coisas e mudei de cidade mais uma vez, sem nada além de minhas roupas e meus livros.

 

6) Quando fui demitida do meu último emprego e meu marido rompeu o relacionamento

Os gatilhos da crise foram três: a casa que eu construí, o fim do meu casamento e a minha demissão. A construção de uma casa é algo muito desgastante, e eu entrei em mania. Acordava de madrugada e ia estudar decoração e design de interiores. Comprei dezenas de livros, assinei várias revistas desta área. Meu marido não ajudou em nada, ao contrário, era antagônico. Quando a casa estava pronta, ele terminou comigo. Logo depois fui demitida.

 

O que se conclui é que, no meu caso, as crises são deflagradas por um gatilho. Nunca entrei em crise sem um motivo.

Enfim, nossa capacidade regenerativa é muito grande. Sinto essa força dentro de mim. Depois de tantos tombos, tantas cicatrizes, tantas tempestades, estou firme e forte de novo.

11 thoughts on “Capacidade do bipolar de superar as crises”

  1. Também tenho uma longa folha de rascunho a que se tornou minha vida, uma janela do sucesso fechada, lutas pra reequilibrar, cirurgias e desatinos, de repente uma luz, recomeço, logo a aflição do rompante do destino e manifestar a bipolaridade, torrei tudo, abandonado pela namorada, e hoje dependente dos irmãos…triiisteee..

    1. Oi, Giovane! Sim, nossa vida é mesmo entremeada por crises em que perdemos tudo ou quase tudo. Hoje estou relativamente equilibrada, mas ainda preciso controlar a compulsão por compras e por comida. Estou gorda, endividada e com o nome sujo. Mas estou me segurando, andar para trás eu não vou mais!

  2. A história dos bipolares são sempre muito parecidas, altos e baixos, mas após descobrir que somos portadores de TAB, nos tornamos seres melhores
    Temos essa capacidade de superação. Somos pessoas fortes. Somos guerreiras, somos fênix. E isso um dia de cada vez.

  3. Meu Deus… Eu precisava de uma palavra assim de porque eu entro em crises mesmo medicada e são “Gatilhos”. Existem gatilhos para as nossas crises que devastam tudo. Estou no meio de uma tempestade e sei que vou me reerguer. Beijos e força

    1. É isso mesmo, Larissa, entramos em crise por conta de gatilhos, estopins que, ao explodir, deflagam crises das quais não conseguimos escapar, mesmo medicadas e terapeutizadas. É isso que eu chamo de “pegar o touro pelo chifre”, porque temos que recorrer às nossas próprias forças, tem que ser no braço, na raça. Você vai sair dessa, minha querida, você sabe que vai. Se precisar conversar, é só me chamar pelo email (amanda@transtornobipolar.net) ou pelo facebook. Beijo e abraço, Amanda.

  4. Hey! Compartilhei isso na page Transtorno bipolar e sua rotina. Serei sua leitora assídua. POrque também tenho começado tudo do zero. Sucesso!

    1. Oi, Damaris! Que bom que você vai continuar comigo nessa jornada, obrigada! Obrigada também pelo compartilhamento na page. Vamo que vamo! Sucesso para você também. E, aliás, somos mestras em começar tudo do zero, hum? Beijo, Amanda.

  5. Aos 60 anos a minha história seria um drama que não cabe aqui.Por haver fatos alguns psiquiatras duvidam da designação de Bipolar.Acham que qq ser humano teria morrido já ou morto alguém.De qq modo sou taxada com Atestado médico de incapacidade p trabalhar de Bipolar.Fénix não sou.Estou-me tratando sózinha fazendo Yoga e meditação;tomando ansioliticos e ADT;tomando megadoses de vit C e D+ complexo B,magnésio etc,que venho aprendendo em medicina alternativa;faço auto-Reiki e recebo Reiki qd pioro,Banhos de sal de Epson quentes p relaxar,pq esta depressão que vem de há décadas somatizou-se em fibromialgia,asma,Hashimoto,hipotiroidismo,etc.Faço este comentário/depoimento p q não fiquem desatentas na vossa vida e cura.Procurem tudo e todos,porque podem piorar….Para mim só DEUS para eu estar viva….claro que tentei o suicídio.A todos -AS MELHORAS e não desanimem pois há sempre quem esteja pior que nós e devemos ajudar.Beijos.

    1. Oi, Micah! Obrigada pelo seu comentário, muito forte e sincero. Mas não concordo com uma coisa: acho que você é fênix sim. Pela sua capacidade de entrar em crises, até mesmo tentar o suicídio, e se reerguer. Você é muito forte! Parabéns pela coragem. Com carinho, Amanda.

  6. Bom dia…atualmente fui diagnosticada com TAB ainda nao aceito ter a doenca…as vezes as pessoas falam q nao tenho q isso e coisa da minha cabeca…puta q pariu desculpa as crises de depressão a vontade de gastar e comer sem fome so pelo fato de comer.. ultimamente estou numa crise mais nao gosto de ficar falando para minha familia e namorado q parece nao entender….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.