Os psicopatas da internet – número três

Agora chegou a vez da história mais pesada. De fato aqui encontramos um psicopata, no sentido exato do termo.

No site de relacionamento, parecia um presente destinado a alguma mulher sortuda. Bonitão, bem vestido, simpático, fotos em várias cidades europeias, site e vídeos no YouTube. Dizia ser contabilista e professor universitário. Formado pela Fundação Getúlio Vargas. Lobo em pele de cordeiro.

Começamos a conversar por emails, telefonemas, Skype. Eu estava entusiasmada. Até que certa vez, repentinamente, ele disse que viria me conhecer. Fui pega de surpresa, mas gostei da ideia, gostei daquele gesto. Chegou de madrugada, fui esperá-lo na rodoviária, escondida da minha mãe. Não podia fazer nenhum barulhinho que ela acordaria, pois tem o sono muito leve. Mas felizmente não acordou.

Por esta época, minha mãe batia em mim. Bateu muito em mim no episódio do psicopata número dois. Socos na cabeça. Eu não revidava, é claro, apenas tentava desviar dos golpes.

Conversando com o meu psicólogo, ele falou que eu devia tomar uma atitude mais forte, mais assertiva. Então, quando ela veio bater em mim, eu levantei os dois antebraços, com os punhos cerrados. Ela se assustou e nunca mais tentou me bater.

Voltando ao tema principal, o psicopata chegou e fui agradavelmente surpreendida. Ele era o mesmo homem das fotos. No dia seguinte, fui para o hotel e fizemos sexo a manhã toda. Uma delícia. O melhor beijo que já experimentei. Ele gozou cinco vezes! Eu não gozei, tenho dificuldade com essa parte, tenho que ter muita confiança na pessoa. Ele foi o máximo. Cheiroso, pênis do tamanho certo, esbanjando energia.

Naquela noite saímos para jantar e ele parecia muito apaixonado, assim como eu. Começou a fazer planos para vir morar na minha cidadezinha. Eu contei que tinha uma casa alugada em outra cidade e ele falou para eu vendê-la, e comprar logo outra casa para sair da casa da minha mãe. Disse que, na nossa relação, era ele que cuidaria da parte financeira, pois eu não sabia cuidar. Eu assenti – lá está a carência desfocando os meus sentidos.

Começou a negociar a venda da minha casa e o aluguel de outra aqui onde moro. Vendeu a minha casa por um preço muito barato. E alugou uma casa enorme, mil reais de aluguel, e eu fui a fiadora. Fazia planos grandiosos, de ser o prefeito da cidade, etc.

Vinha para cá amiúde. Eu ficava com ele na casona vazia, só com um colchão de solteiro no chão. Perto dele, eu sempre me feria. Entortava o dedo, me cortava, caía. Isso é sinal inequívoco das companhias extrafísicas que estavam com ele. Ou seja, espíritos mal intencionados. Mas nem isso eu queria ver.

Eu estava completamente sem dinheiro, então dei a ele algumas joias para ele vender, para ajudar na sua mudança. Joias de família.

A minha melhor amiga, seguindo nada além de sua intuição, investigou-o. Foi à polícia, acho que ela tem contatos lá. Descobriu que tudo que ele falava sobre si mesmo era falso, e ele estava sendo processado por estelionato e rufianismo (exploração de prostitutas). Até as fotos da Europa eram montagens.

Ele entrou em paranoia. Não queria mais falar comigo ao telefone, pois podia estar grampeado. Foi então que eu percebi que ele era do crime mesmo.

Foi um duro golpe. Ele acuou-se diante dos fatos. Minha amiga disse que havia contratado um detetive particular e montado um dossiê sobre ele. Agora, o pior dos piores: ele filmou nós dois fazendo sexo. Mandou um trecho da filmagem, decerto como chantagem para não levarmos o caso à Justiça.

Sofri bastante. Vergonha perante a minha amiga e o marido dela. Decepção.

Depois disso ele nunca mais apareceu. Deixou para mim uma dívida de quatro mil reais, por conta da casa alugada. Eu paguei tudo. Paguei pela minha cegueira, mais uma vez. Paguei pela minha carência.

Depois de algum tempo me mandou um email me chamando de “querida”. Não respondi.

25 thoughts on “Os psicopatas da internet – número três”

  1. amiga, um relato forte. Psicopatas usam pessoas fragilizadas para aplicar seus golpes. não tenha vergonha, poderia acontecer com qualquer outra mulher, eles são extremamente sedutores e sempre conseguem o quer querem. fica na paz de Deus, beijos

  2. Parece que temos um imã parece atrairmos psicopatas, eles parecem tão lindos, perfeitos em todos os sentidos, e qdo acordamos o estrago já está feito.

    1. Marcinha, concordo plenamente. Você tem alguma experiência com este tipo de homem? Poderia relatar? Se você concordar, você faz o relato e eu publico no site. Pode ser sob pseudônimo, você que sabe. Bjs, Amanda Montenegro – Codinome: Vagalume.

      1. Eu tenho certeza que um dos seus psicopatas na rede é o mesmo que me assediou em 2012. Quando minha terapeuta pediu-me para entrar no site da polícia federal é que eu tomei o ar da realidade, do perigo. E vi o cara lá, as fotos, a filha pequena, o safado usando crianças para denotar uma normalidade familiar. E fui pegando as dicas e ficando esperta. Mas parece que meu radar se voltou apenas para fora. Agora eu vejo que aqui no Brasil tem um montão de canalhas, de cafajestes ou piores. Um deles, eu dou graças a Deus por nem ter conhecido. Outro, eu prefiro mascarar os prejuízos com a máxima de que isto aconteceu para eu aprender. Oh meu Deus, tudo bem que eu preciso aprender, mas poderia ser com menos prejuízo, né? Em épocas tão difíceis, 9mil reais foi foda… E outros, bem, outros, foram como os anônimos, ou seja, só por hoje… Sumiram, para nunca mais voltar, graças a Deus.
        No momento, estou com um já um tempo, e ainda nem me deu prejuízo, apenas no coração. Até quando? Eu diria que eu tenho um relacionamento tentador…
        Eu tento, tento, tento sair fora … que cachaça….

        1. Yes, I can. So…
          Há dias que venho tentando tomar uma posição, uma atitude, uma decisão. E este dia foi ontem. Resolvi dar um ultimatum, assim, elegante. Coincidentemente com a prensa que a wife deu nele. E no meio do fogo cruzado, o estrangeiro se viu com a corda no pescoço e me disse: Forget me if you want.

          Claro que eu fui muito no impulso. Minha carência e minha solidão não me permitem tomar uma atitude mais decisiva. Morri ontem depois disso. Tomei meu remédio para dormir em dobro porque não queria acordar nem um minuto sequer com absolutamente nada, dormir 12 horas ininterruptas, com a cabeça mais descansada e pensar na vida.

          Graças a Deus, mamis veio para cá hoje me visitar por tempo indeterminado… vixi… E sabe que isto foi o meu remédio? Por enquanto né? Até a primeira rusga…

          Agora à tarde, recebo uma mensagem dele, me pedindo desculpas. Está doente, física e emocionalmente. Falou de tudo, da vontade que ele tem de mandar tudo ir à merda. Não aguenta mais. E eu também falei de tudo, da vontade que eu tenho de mandar ele e toda a família dele ir à merda. Só porque são canadenses, esta hot latin blood aqui não pode e nem deve se submeter.

          Discutimos sobre nos encontrarmos. Antes era na Califórnia, agora eu pedi no meio do caminho, seria o México. Aff. Só falta ser no dia de comemorar a morte. Ele me disse para eu morar em Vancouver. Naninha não, morar lá e ser a outra indefinidamente? E meu emprego, minha vida, minhas filhas?

          Então, eu vou morar aí, ele disse.
          Ok, honey, só que para vir para cá, você tem que ter sua carta de divórcio, todos os bens divididos, e toda a sua situação definida.

          Wow…

          Ok, my Dory, I´m trying to resolve this things…
          Ok, my Nemo, vai trying, vai… até que as things estejam resolved.
          OMG!
          Só por hoje!

  3. Ai, me dá até um calafrio quando penso no que você deve estar passando… Essa indefinição, esse “I´m trying to resolve this things…” Meu deus do céu, como você aguenta? Eu não aguentaria, te juro. Eu falaria assim: quando resolver tudo me procure, se ainda me quiser. Se não, tchau-tchau.

    1. Querida, eu se fosse eu (!!!!!) também diria isto… Mas eu não dou conta. Esta dor é muito maior do que a dor de viver nesse “I’m trying”….

      Ontem à noite, mesmo com mamis aqui, tivemos uma conversa pelo skype (claro, pelos perfis fakes que criamos para conversar sem problemas). E começamos a delinear o plano de, como diz todo bom mineiro: pronqueuvô? prá depois vir o onqueutô?

      A monoideia teve um filho ontem à noite… pesquisar (note bem, não comprar!), passagens, money, datas, doutorado…

      O sujeito mudou… agora é we are trying…

  4. Se eu as tivesse, eu diria, estou com as barbas de molho. ..

    Somente depois que eu disse que eu queria mandá-lo junto com a família, à merda, é que eu sinto que algo andou.

    Estou apenas pesquisando as possibilidades de uma viagem. Nada por impulso. Vou pedir ajuda às minhas filhas. Elas são muito centradas e preocupadas comigo.

    Perguntei pela wife. Ele respondeu : ela não vai te perturbar mais. Será que ele a matou?

      1. Não precisa ter medo. Uma filha minha está querendo ir também para conhecer o Canadá.

        Amanda querida, são suposições. … devaneios. Preciso desenhar tudo isso e fazer com calma.

        Obrigada pela preocupação. Tudo ainda no papel.
        Continuo aqui tentando ainda tomar uma decisão.

        O que um “vai à merda junto com sua família ” faz….

        1. Cuide-se, garota. Você é especial. Muito especial. Não se deixe levar por um falastrão. Digo isso porque já aconteceu comigo e eu tentei me matar como resultado. Poderia ter perdido a minha vida, essa que hoje dou tanto valor. Dou um valor enorme às minhas cicatrizes. Os erros cometidos, os sofrimentos, as alegrias, são os tijolos da casa da minha maturidade. Abs, Amanda.

  5. Não sei se elogio mais os textos ou os comentários. Parabéns por tudo, que histórias! adoro o jeito que escreve, obrigada por escrever. Conheci o site há uma hora e não consegui sair desde então, pretendo ficar por aqui até minha chefe chegar e acabar com minha alegria rs

    1. Ei Ka.
      Conjugo da mesma opinião. Esse site é uma droga.
      Hehehhhh…. no sentido mesmo de ficar viciado.
      Se deixar eu não estudo….
      Os textos são ótimos e as abordagens diferentes da rotina urgente.
      São coisas prá se pensar e deixar abrir a porta da caixa da Pandora.
      Pelo menos aqui posso ser quem sou e compartilhar dos meus momentos, sejam eles de cada extremo do bipolar, ou do meio…

      Bjus
      Dory.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.