O transtorno bipolar e o assédio extrafísico – Parte I

Assédio extrafísico é o ato de uma pessoa que já morreu interferir para o mal na vida de uma pessoa que está nesta dimensão material. Os espíritas chamam de obsessão.

“Obsessão, segundo o espiritismo, seria uma influência de supostos seres imateriais que influenciariam as pessoas devido aos seus pensamentos impuros. Os adeptos desta religião acreditam que a obsessão pode causar doenças físicas e psíquicas. Segundo Allan Kardec, o codificador do espiritismo, seria o domínio que alguns espíritos logram adquirir sobre certas pessoas. Nunca é praticado senão por espíritos inferiores que procuram dominar o obsediado. É a ação persistente que um espírito mau exerce sobre um indivíduo. Apresenta caracteres muito diversos, desde a simples influência moral, sem perceptíveis sinais exteriores, até a perturbação completa do organismo e das faculdades mentais.” (Fonte: Wikipédia).

É conveniente deixar claro que “espíritos” nada mais são do que pessoas que já morreram, ou seja, estão no extrafísico, no interregno entre uma vida e outra.

Eu não sou espírita, não tenho religião, mas o assédio para mim é uma realidade. Sempre que entro em crise bipolar, atraio assediadores que apresentam a mesma frequência vibratória e potencializam a crise. Penso que a presença de um assediador pode desencadear uma crise de bipolaridade.

Digo isso pois já estive muito mal, em crises bipolares, e melhorei imediatamente quando o assediador foi retirado da minha aura.

Mas não somos seres indefesos perante os assediadores. Para nos proteger deste mal, temos que sempre estar atentos ao nosso padrão de pensamentos, sentimentos e ações. Não podemos dar brecha para o assédio. Além disso, há técnicas para se proteger do assédio. As técnicas mais eficazes que já apliquei foram as propostas pela Conscienciologia, ciência que estuda os fenômenos extrafísicos (www.conscienciologia.org.br/). Conscienciologia não é religião.

A Conscienciologia baseia-se no Princípio da Descrença, que pode ser resumido pela seguinte frase: “Não acredite em nada, nem mesmo no que lhe informarem aqui. EXPERIMENTE. Tenha suas experiências pessoais.” Esta também é a minha proposta. Não acredite em mim, não quero convencer ninguém de nada. Estou apenas, como sempre, relatando minha experiência pessoal.

Há também os espíritos do bem, os Amparadores. Amparadores têm por missão nos ajudar, nos protegendo dos assediadores, e nos inspirando quando é necessário. Amparadores são seres que se afinizam conosco, e com quem que muito possivelmente já convivemos em vidas pretéritas. Os Amparadores nos conhecem muito bem.

Quanto ao transtorno bipolar, esta doença pode ser um ímã, atraindo os assediadores. Mas não estamos desamparados. Como eu disse, já aconteceu comigo de estar em plena crise maníaca e ser auxiliada com a retirada dos assediadores que estavam comigo.

Todas estas interações são realizadas por meio de energias, sejam elas boas ou más. O padrão da nossa energia é definido pela tríade pensamento + sentimento + ações. Toda pessoa se manifesta o tempo todo por meio desta tríade, por isso a importância de se ter a maior atenção quanto ao nível do que pensamos, sentimos e agimos. Este nível vai definir quem atraímos para perto de nós, sejam assediadores ou Amparadores

4 thoughts on “O transtorno bipolar e o assédio extrafísico – Parte I”

  1. Sou uma pessoa cética. A Bíblia (na minha modesta opinião) não é o que na realidade os católicos e evangélicos dizem ser. Acho contraditória, machista, ameaçadora. “Temos que ser tementes à Deus”!!! Por que? Ter medo, amar sob pressão? O espiritismo me atrai muito, pois essas energias, eu consigo sentir. Ás vezes estou até me sentindo bem, aí chega alguém e começa a falar comigo,eu sinto na hora a “frequencia” diminuir: bate uma tristeza profunda, sem explicação,uma tristeza mórbida, quase que desejando a morte. Eu já identifiquei as pessoas “vampiras”, pior que são da família. Mas eu gostaria que alguém chegasse e falasse: Olha eu sou um espírito, existe algo, além túmulo. Eu tenho uma certa obsessão pela morte, a ponto de fazer passeios no cemitério de minha cidade para ver as fotos dos que já se foram. Vejo no Youtube, fotos “post mortem”. E isso vem desde a infância, 5 ou 6 anos. Pasme!

    1. Adriana, concordo totalmente com você em relação à Bíblia. Sem falar que é um texto que incita a violência. Na minha modesta opinião, você devia se aproximar mais da religião espírita, para aprender técnicas para se proteger dos vampiros, porque você é muito sensível. Outra opção, que eu sempre recomendo, é a Conscienciologia. A Conscienciologia não é uma religião, mas lida com todo este contexto extrafísico: http://www.conscienciologia.org.br/
      Abraços, Amanda Montenegro – Codinome: Vagalume.

  2. Gostaria q vc abordasse mais sobre esse assunto , por ex : como foi tirado o obssessor da sua aura …. Desde já agradeço .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.