Depressão refratária

A depressão refratária é uma das piores doenças que o ser humano pode sofrer.

Para entender mais sobre ela, sugiro ler o texto contido no site Minha Vida:

http://www.minhavida.com.br/saude/materias/16599-depressao-o-que-fazer-quando-paciente-nao-responde-bem-a-medicacao

E, para entender na prática, segue a entrevista que meu amigo DaVinci gentilmente concedeu ao nosso site.

1.Qual a sua idade?

27 anos.

2.Qual a sua formação? Você trabalha em sua área?

Formado em Propaganda e Marketing e não trabalho há cinco anos por conta da minha depressão.

3.O que é depressão refratária? Qual o seu diferencial?

A minha depressão não responde a nenhum tratamento de forma sustentável, quer dizer, alguns medicamentos me ajudam, porém, por um breve período de apenas umas semanas e depois todos os sintomas voltam. Nesse tempo (seis anos de depressão) já tentei mais de dez remédios diferentes e nenhum deles me ajudou no longo prazo.

4. Há quanto tempo apresenta depressão e há quanto tempo foi diagnosticado? Quanto tempo você e o seu médico levaram para concluir que era depressão refratária?

Apresento depressão há seis anos e também fui diagnosticado há seis anos. Após tentar mais de quatro ou cinco antidepressivos diferentes foi constatada que minha depressão era refratária.

5.O que esse diagnóstico significou para você? Como se sentiu?

Me senti mal por pensar que não existe medicação que poderá me ajudar no caminho. Embora use medicação não sinto muito que elas fazem algum efeito, porém, o médico acredita que é melhor ficar com ela pra prevenir crises.

6.Relate em quais áreas da sua vida a depressão refratária influencia.

Todas as áreas sem exceção.

7.Como você lida com a depressão refratária atualmente?

Vou ao psiquiatra e a cada mês tentamos novas combinações de remédios pra ver se finalmente achamos um que dê certo.

8.Você faz algum tratamento? Qual? Que resultados ele apresenta?

Faço com Fluoxetina, Haldol e Clonazepam. Nenhum resultado aparente.

9.Você tentou os tratamentos eletroconvulsoterapia e estimulação magnética transcraniana?

Não.

10. Conhece alguém que apresenta o mesmo quadro que o seu? Existe troca de experiências?

Sim, um amigo meu que também tem, porém de forma mais intensa. Conversamos apenas por Facebook por que ele também tem além de depressão refratária, ansiedade social intensa.

11.Qual a sua perspectiva de futuro, diante desta doença?

Nenhum perspectiva. Tento não pensar no futuro por que me causa ansiedade e não penso no passado por que me causa tristeza. Sinto-me preso numa prisão mental.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.