CETAMINA

Embora existam diversos tipos de tratamento para a depressão, muitas pessoas não reagem bem aos antidepressivos tradicionalmente recomendados. Estudos recentes, porém, devem começar a mudar esse quadro, mostrando que a cetamina (também chamada ketamina), substância usada há cerca de 60 anos na medicina como anestésico, tem efeito rápido e eficiente sobre a enfermidade.

Eis dois endereços em que há informações técnicas importantes sobre a cetamina:

http://clinicaohrpsiquiatria.com/depressao-cetamina-traz-eficiencia-e-rapidez-para-tratamento-da-doenca/

http://clinicaohrpsiquiatria.com/depressao-e-cetamina-perguntas-frequentes/

Agora, vamos verificar o uso da cetamina na prática. Eis duas entrevistas com pessoas que generosamente nos cederam o relato de sua experiência.

PRIMEIRO: entrevista com a SOFIA, que usou cetamina há 14 anos.

“O uso desta substância foi muito importante em um momento de auge da depressão, tentei até suicídio. Usei cetamina por seis meses, acompanhada por uma psicóloga e psiquiatra. Resultado: retomei as rédeas da minha vida. Voltei para a faculdade. Me divorciei. Cheguei ao mestrado (incompleto ainda). Enfim, hoje sou psicopedagoga e ajudo sujeitos em suas dificuldades.”

1. Qual a sua idade?

52 anos.

2. O que é a cetamina?

Substância usada em casos extremos de depressão.

3. Há quanto tempo você terminou seu tratamento com cetamina?

Há 14 anos.

4. Você se tratou com cetamina por quanto tempo?

Durante seis meses.

5. você tomava outros medicamentos em conjunto com a cetamina?

Não.

6. Por que decidiu parar o tratamento com cetamina?

Psiquiatra em conjunto com a psicóloga decidiram que eu já estava bem e não necessitava mais fazer uso de medicação.

7. De que forma é feito o tratamento com cetamina?

Pode ser intravenal.

8. No seu caso, qual a periodicidade das aplicações?

Primeiro mês: duas vezes na semana

Segundo mês: uma vez por semana

Terceiro mês: a cada 15 dias

Últimos três meses: uma vez por mês

9. Que efeitos colaterais você sentia?

Boca seca, aumento das batidas cardíacas.

10. Você identificou melhoras com o tratamento?

Sim.

11. Quais as suas perspectivas de futuro?

Quando sinto que a depressão vai chegar, já aumento minha terapia. Faço há 14 anos e continuo fazendo porque sou psicopedagoga.

 

SEGUNDO: entrevista com o AMIGO, que está atualmente em tratamento com a cetamina.

1. Qual a sua idade?

47 anos.

2. O que é cetamina?

A cetamina é um anestésico que existe há muito tempo na medicina e recentemente foi descoberto como efeito colateral que ele tem um bom desempenho na depressão.

3. Há quanto tempo você se trata com cetamina?

Estou me tratando com a cetamina há aproximadamente duas ou três semanas. Fiz uma sessão em que há uma entrevista e estou indo para a minha sexta aplicação.

4. De que forma é feito o tratamento?

O tratamento é intravenoso, por meio de uma ampola que é injetada durante 40 minutos.

5. No seu caso, qual a periodicidade das aplicações?

No meu caso foram três aplicações na primeira semana, duas aplicações na na segunda semana e agora está espaçando de uma em uma semana, mas vai depender da minha reação. Cada caso é um caso.

6. Que efeitos colaterais você sente?

Durante a aplicação você fica completamente alucinado, como se tivesse usado uma droga bem forte. Depois da aplicação, nenhum efeito colateral.

7. Sua depressão é do tipo refratária? Que tratamentos você já fez?

Sim, minha depressão é refratária. Já fiz todos os tratamentos disponíveis. Fiz terapia com psicólogos e analistas. Tomei várias medicações. Fiz ADI, que é a abordagem direta do inconsciente. Também fiz estimulação magnética transcraniana.

8. Em que instituição médica você está fazendo o seu tratamento?

Estou fazendo na clínica OHR em São Paulo.

9. Quanto custa o tratamento?

R$ 320,00 a primeira consulta e R$ 370,00 cada aplicação

10. Você identificou melhoras com o tratamento?

Sim, identifiquei, e melhoras bem significativas. Também há a vantagem que a melhora aparece no mesmo dia, não como os antidepressivos que ficar aguardando semanas para começar o efeito da medicação.

11. Quais melhoras?

É como se eu não tivesse depressão. Não há pensamento intrusivo, não há vontade de morrer. Você tem vontade de viver sempre alegre e assim por diante.

12. Quais suas perspectivas de futuro?

Acredito que exista uma perspectiva muito boa em relação ao tratamento. Eu acho que estão chegando bem perto de uma cura definitiva.

4 thoughts on “CETAMINA”

  1. Bom, pelo que entendi apenas o psiquiatra juntamente com o psicólogo indicam este tratamento, além do que o custo dele torna-se inviável para muitos pacientes portadores de depressão do tipo severa e/ou refratária. Não basta querer né? Esta cetamina estaria no grupo da dolantina? Porque eu tomei dolantina muitas vezes e eu achava que eu ficava melhor. Obrigada, Dory

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.