2017!!

Tive uma crise de bipolaridade desde a última vez que falei com vocês. Foi como se o peso do mundo estivesse sobre as minhas costas. Uma um cansaço, uma prostração.Mas o humor não mudou, continuei calma. Deve ser o efeito do remédio que o novo psiquiatra receitou. Será que estes sintomas desaparecerão com o tempo ou vou ter que parar/substituir o remédio? Não sei.

No post anterior relacionei (Amanda e o psiquiatra) relacionei os meus sintomas, agora preciso relacionar os sintomas atuais: confusão mental, dificuldade de concentração, sono além do razoável, preguiça, memória prejudicada, falta de equilíbrio. De qualquer forma, continuo calma – mesmo ao verificar o déficit da minha bancária. A compulsão toma conta de mim. Fico inerte. Obedeço a compulsão.

Nas festas de fim de ano, tudo bem, tudo agradável. Assim também com o meu marido.

Com a família, tudo bem também, apesar do dinheiro que devo para a minha mãe. Preciso avisá-la que não tenho como pagar. Minha mãe, sempre ajudando. Vai faltar dinheiro para pagar as minhas dívidas. Tenho duas alternativas: ir a uma instituição que empresta dinheiro a juros abusivos ou recorrer à minha mãe de novo.

Tive tanto dinheiro quando recebi o pagamento da casa… Tantas pessoas avisaram para eu aplicar logo, vaticinando que se eu não fizesse isso o dinheiro acabaria em pouco tempo. Eu parecia entender, mas no fim dizimei tudo. E agora aqui está a Amanda endividada de novo, como sempre.

Pode essa a causa da minha depressão, pois agora, enquanto escrevo, os sintomas recrudescem. Uma vontade de deitar e cobrir a cabeça, fugindo de tudo. Até já sonhei com isso. Um horror.

Não posso deixar-me abater, pois há muitas coisas que preciso cuidar. Dar suporte à minha mãe, dar suporte ao marido. Viver com mais paz.

Recebi mensagem da amiga que veio passar comigo o réveillon, uma mensagem de agradecimento, muito legal. Nossa segunda hóspede. Em geral, as pessoas não gostaram dela, pois ela é muito excêntrica. Eu, conhecendo-a, gosto dela especialmente. Ela meu ajudou muito.

A dependência no quintal já ficou pronta. Quero apenas que eles retirem as latas vazias de tinta para poder fazer a mudança de algumas coisas. Junto à essa demanda, falta o armário também.

2016 foi um ano pesado. Casei com o namorado, cuidei dele em dois pós-operatórios, este site foi lançado, e eu descobri que posso usar o parapsiquismo nos centro-espíritas – e essa foi uma coisa maravilhosa.

Sou uma consciência em busca da evolução, junto a tanta outras. Tenho deveres a cumprir.

Obrigada, Amparadores, por me entenderem sem julgamento e me aceitarem do jeito que eu sou. Muito obrigada mesmo por ajudarem com o meu site, e obrigada pelo namorado, quero e posso ajudá-lo. Obrigada pelo meu irmão e minha mãe, que eu tanto amo.

2017 vai ser um ano melhor que 2016, pois há coisas não definidas, que se definirão neste ano.

FELIZ 2017 A TODOS!

PS: Tive uma dificuldade imensa em escrever este post. Mas alguém já viu um bipolar desistir?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.