A bolha da Amanda

Todas as bolhas, se são realmente bolhas, um dia estouram. Foi assim com o mercado imobiliário americano, foi assim com a bolha da internet. E assim também foi com a bolha da Amanda, dos gastos sem respaldo em roupas, óculos, sapatos, bolsas, semi-jóias, itens para a casa.

O dinheiro, obviamente, é finito. Dilapidei a minha “fortuna”. E agora descobriram tudo. O meu marido e a minha mãe e o meu irmão. O único que ficou ao meu lado foi o meu irmão. Meu marido e a minha mãe ficaram enfurecidos.

Esconderam os meus cartões de crédito e até o de débito. O meu marido vai pagar as minhas contas junto comigo, ele faz questão. Fui interditada. Não juridicamente, mas familiarmente.

Quer saber? Apesar da perda da perda da minha liberdade, isso chega a ser um alívio. Agora não tenho o que esconder, pelo menos nesta parte da minha vida.

Quando eu era rebelde, adolescente, seria uma briga séria mesmo. Mas agora não.

Não posso fazer assistência no centro espírita estando endividada. Uma médium deve ter todas as áreas da sua vida equilibradas. Então esta descoberta veio a calhar.

Com o meu marido, não tenho o que esconder nesta área, vamos ficar mais próximos. Assim que eu pagar todas as dívidas, estaremos fortalecidos.

Quando me desinterditarem, estarei mais forte. Quando será esse dia? Não sei, mas vou comemorar.

Meu marido está bravo comigo, me trata com frieza. Justamente nesta hora em que estou gostando mais dele. Gosto dele, até dos seus defeitos, meu sentimento por ele nunca foi tão grande. Ele é um bom homem. A tormenta vai passar e sairemos mais fortes.

Faço um paralelo entre a nossa relação e o que aconteceu com a minha melhor amiga. O marido dela gastou muito mais do que podia, recorreu a agiotas, falsificou a assinatura do cunhado. A reação dela foi das piores. Insultou-o, humilhou-o, bateu nele. E ele sempre pedindo perdão. Claramente vê-se que é uma doença. Ele foi interditado judicialmente.

E o meu marido, passando por situação semelhante, está sendo meu principal companheiro, meu principal Amparador. Já disse que o pagamento da psiquiatra ele vai providenciar. A psiquiatra é de uma grande cidade vizinha desta cidadezinha em que moro. A moça é muito competente.

Vou ficar bem e tudo vai dar certo. Eu, meu corpo magrinho, e vivendo com felicidade ao lado do meu marido, da minha família e dos meus amigos.Tudo está se encaminhando para isso.

4 thoughts on “A bolha da Amanda”

  1. Querida Amanda,
    Força! É a palavra que vem à minha cabeça no momento.
    Tudo se ajeitará! Faça por onde cultivar um grande futuro para você!
    Lembre-se, você precisa dar um crédito de que está disposta a melhorar. Para você e para o marido. Esta relação de cumplicidade é importante!
    Você vai superar esta bolha e será feliz!
    Um grande beijo!

  2. o casamento é construído dia após dia, com atos pequenos e carinhosos, e generosos. Não tem mais o conforto das coisas que o dinheiro podia pagar, leia livros para ele, sente-se às tardes debaixo de uma árvore, faça piqueniques. A vida vai mudar.
    Força, você vai conseguir, o amor consegue tudo.
    Beijo
    Dory

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.